Notícias do Pomar

Estudo avalia condução de macieiras com método muro frontal

Sistema aumenta a produção, facilita a mecanização e acrescenta qualidade


Há cerca de dois anos pesquisadores do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná -Iapar-Emater) avaliam técnicas alternativas de condução de macieiras na unidade de pesquisa de Palmas, no Sul paranaense. Eles observam o chamado método "muro frutal".

Nessa proposta, as plantas são implantadas em fila, com espaçamento reduzido (como se fossem formar uma cerca-viva). Entre as vantagens desse sistema estão o aumento da produção por área, facilitar a mecanização dos tratos culturais e da colheita, acrescentar mais qualidade aos frutos e reduzir custos de implantação e condução de pomares.

"A ideia central é encontrar opções superiores ao método 'líder central', largamente utilizado nas regiões produtoras do Brasil", explica o pesquisador Clandio Medeiros da Silva, referindo-se ao tradicional sistema em que as plantas são distribuídas no terreno com espaçamento amplo e manejadas com podas para ganhar formato cônico.

Silva explica que estão sendo avaliados métodos de condução em sistema plano - plantas são distribuídas no terreno com apoios e conduzidas de forma bidimensional (ao contrário do "líder central", que é tridimensional) - e, em outra frente, com podas que dão às árvores o formato da letra V.

A principal vantagem dessas duas abordagens é o aumento de plantas por área e a boa distribuição de luz em todas as partes da planta, aspecto fundamental para a qualidade final dos frutos. A produtividade dos pomares paranaenses, que gira em torno de 36 toneladas de maçãs por hectare, pode ser aumentada em pelo menos 20% com novas práticas de condução, aponta Silva.

Embora ressalte a necessidade de mais observações para uma avaliação conclusiva, Silva conta que o método chamado "muro frutal" vem se destacando. O projeto tem previsão de encerramento no final de 2023.

O Paraná é o terceiro produtor nacional da fruta, atrás de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. De acordo com o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), há mil hectares de macieiras no Paraná, com uma produção de 30,4 mil toneladas (dados de 2020). A fruta é explorada em 37 municípios paranaenses. Palmas, no Sudoeste, e Lapa, na região Sul, são os maiores produtores.

O projeto é conduzido em parceria com os pesquisadores Paulo Mauricio Centenaro Bueno, vinculado ao Instituto Federal do Paraná, campus de Palmas, e Idemir Citadin, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná de Pato Branco. *Rádio Notícias/Wyllian Soppa)

Comments